Uma da maneiras de se obter a dupla cidadania europeia é fazer o processo de cidadania direto na Itália, pela via administrativa, por meio do comune. 

 A lei de cidadania italiana estabelece que uma pessoa só pode iniciar o processo de reconhecimento de cidadania em seu local de residência. Isso significa ter um endereço fixo e comprovar esse vínculo. Por isso, para aqueles que decidem tirar a cidadania direto na Itália é necessário residir no país.

Este é o caso de muitas pessoas que decidem viajar e iniciar o processo de cidadania direto na Itália. 

E sim morar na Itália pode ser uma experiência maravilhosa. Além de benefícios como segurança e acesso a oportunidades únicas, as cidades são repletas de arte e de História que foram definitivas para o desenvolvimento da nossa sociedade.

Todavia, é importante lembrar que o custo de vida em euro pode tornar esse período extremamente oneroso. O Euro é uma moeda fortíssima e o real, infelizmente, está cada dia mais desvalorizado. 

Caso os recursos financeiros para fixar residência na Itália, por um período de até seis meses ou mais, não seja um problema para você, recorrer ao processo de cidadania italiana direto na Itália pode ser uma boa ideia. 

Durante o processo, como residir legalmente na Itália?

A partir do momento que você decide obter a cidadania direto na Itália e morar no país, é indispensável garantir que sua permanência no país seja legalizada. 

O visto de turista só dá direito a 90 dias de permanência no país. No entanto, não há como garantir que o processo de reconhecimento de cidadania direto na Itália se limite a esse período, pois diversas variáveis precisam ser consideradas. 

Para permanecer na Itália de forma legal, é necessário que você tenha uma autorização do governo para morar, ou uma carta convite. Dessa forma, caso o prazo dure mais que o esperado, é possível permanecer no país de forma legal e evitar complicações durante seu processo.

Portanto, é importante lembrar que um dos requisitos essenciais para prosseguir com o processo de cidadania direto na Itália é a residência legal. É necessário ainda fluência na língua italiana. Dessa forma, para encarar toda a burocracia do país é necessário entender o que os italianos falam, pois você terá de lidar com documentos específicos e como agentes do governo da Itália. 

Morando na Itália, próximos passos

morar na itáliaUma vez residindo no país, é preciso informar ao estado que você está morando lá. Para isso, é necessário inscrever a residência no Sistema Anagrafico de alguma cidade italiana. Isso se faz indo ao comune da cidade em que você está residindo.  

Uma pergunta muito comum é “posso viajar e fazer turismo enquanto meu processo evolui?”. A resposta é não. Durante seu período de residência na Itália, um agente do estado irá verificar se você realmente está morando no endereço indicado. Esse agente é o Vigile .

O que é Vigile?

É um funcionário público do comune cuja atribuição é verificar se a pessoa que está solicitando a dupla cidadania realmente mora na Itália. Isso significa que, ao escolher tirar a cidadania direto na Itália, é necessário esperar a visita do vigile para que você cumpra uma etapa importante do processo de dupla cidadania. 

Em seguida, você poderá apresentar os documentos ao departamento responsável. Se estiver tudo certo,  sua Certidão de Nascimento e Casamento (se for o caso) será transcrita em um livro de registro civil do comune. Você deverá assinar seus documentos oficiais italianos e receberá a carta d’Identità. Para solicitar o passaporte, é só ir até a Polícia Federal.

Atenção, se você estiver viajando ou não estiver em casa no momento em que o Vigile passar, é muito provável que o seu processo de cidadania direto na Itália seja interrompido. Consequentemente seu direto pode ser até mesmo negado. 

Obstrucionismo italiano

Todo o processo de obtenção de cidadania italiana, seja pela via administrativa ou judicial, em algum momento, possivelmente contará com o obstrucionismo italiano. Mas a obtenção de cidadania direto na Itália conta com maior obstrução, pois a presença de agentes do estado permeia todo o processo.

No entanto, o fato é que existem muitos processos em andamento e nem sempre os funcionários estão em “um bom dia”. Isso mesmo, a concentração de poder nas mãos dos agentes é muito alta. Eles podem tomar decisões de grande impacto no seu processo e por isso muitas vezes é preciso contar com o bom humor de alguns funcionários públicos.  

Houve um tempo em que o processo de cidadania direto na Itália chegava a até seis meses de duração. Porém com o aumento do número de pedidos, fraudes e interesses políticos em barrar o movimento de imigrantes na Itália, esse prazo aumentou significativamente. Já não se pode precisar um tempo médio, depende de cada processo.

Fazer o processo de dupla cidadania sozinho ou com uma assessoria?

É claro que a escolha entre fazer o processo de cidadania direto na Itália sozinho, pela via administrativa, ou contratar uma assessoria para executar o processo por meio da via judicial. Isso vai depender da realidade de cada um. Todavia, sempre recomendamos a realização do processo pela via judicial por duas razões: normalmente é mais barato, e 100% das vezes é menos complicado.