Todos os anos, nós descendentes de italianos, quer tenhamos a cidadania reconhecida ou não, nos deparamos com a mesma notícia – a lei da cidadania italiana vai mudar. Mas este ano, de acordo com uma pesquisa na Itália, as pressões sociais levam o governo a caminhar para outro lado. Para 56% dos italianos, as urgências são outras, e o governo deve prestar atenção nessas outras questões, e não na cidadania.

Nós aqui da Cidadania4u acompanhamos o processo de reconhecimento de cidadania de diversas pessoas. Sabemos de todos os obstáculos e como o processo é complicado e demorado. Os prazos, as regras, as restrições – tudo isso torna o reconhecimento um pouco menos acessível aos que procuram a cidadania italiana.

A reforma da cidadania, quando é trazida à tona, costuma dividir as pessoas ao passo que alguns dos políticos, assim como dos cidadãos italianos, pensam que possa ser melhor o reconhecimento passar a ser Ius Soli, onde o direito deixa de ser por sangue e passa a ser do local de nascimento. Existe também o Ius Culturae, que pode vir à tona como uma terceira alternativa.

E QUAIS SERIAM AS DIFERENÇAS ENTRE ESSES TIPOS DE DIREITO?

Por conta da questão dos imigrantes, a cidadania Ius Soli tem sido trazida à baila com grande frequência. A nacionalidade é, nesse caso, obtida em virtude do local onde a pessoa nasce. Portanto, se um imigrante tem um filho em solo italiano, o mesmo teria cidadania italiana, com base no princípio Ius Soli.

Quando falamos de Ius Culturae, é permitido ao estrangeiro se tornar cidadão italiano desde que demonstre ter conhecimento da cultura local. Por fim, temos o Ius Sanguinis, que é o direito de sangue, que qualquer pessoa que tenha antepassados nascidos na Itália, é cidadão italiano desde seu nascimento, não importando onde ele se deu.

Para Di Maio, vice-primeiro-ministro regente, ainda que acredite que existam questões mais urgentes, e concordar com a massa dos 56% da população, imagina que é correto aprovar até o final de sua legislatura alguma lei capaz de ajustar os direitos de cidadania para os estrangeiros e para os descendentes de italianos.

Nós, aqui da Cidadania4u, visualizando essa situação, não acreditamos que adotar o Ius Soli ou Ius Culturae, o governo italiano irá de forma alguma revisar o Ius Sanguinis, limitar ou deixar de reconhecer tal cidadania.

ESPEREMOS QUE O APOIO POPULAR CONTE NESSA DECISÃO SOBRE A LEI DA CIDADANIA ITALIANA

O Ius Culturae convence cerca de 53% dos italianos como forma de reconhecimento mais justa. Ius Soli, apenas 48%, e 56% apoiam e preferem a lei da cidadania ius sanguinis atual.

Ainda que não vejamos uma alteração necessariamente ligada à linha de direito, e a forma que ele é concedido, imaginamos que seria interessante uma nova formatação para a forma que o processo corre. Tornando-o mais acessível e célere para todos nós, descendentes de italianos.

Para você, frente às questões sociais italianas, você concorda que o reestudo da forma de reconhecimento deve ser postergado? O que você pensa a respeito da alteração como um todo? Conta pra gente aqui nos comentários, vamos adorar saber!

Se você está buscando o reconhecimento de sua cidadania, sabe que pode contar com nossa equipe aqui da Cidadania4u, correto? Nossa equipe pode sanar suas dúvidas acerca de nossa prestação de serviços no contato@cidadania4u.com.br!

Estamos esperando seu contato desde já! Um grande abraço e até mais 😀