Você tem ideia de qual é o número de imigrantes por estado no Brasil? O tema da grande imigração, como é conhecida a diáspora italiana para o Brasil, já foi abordado algumas vezes por aqui. Inclusive, tal fato é homenageado todo dia 21 de fevereiro, conhecido como o Dia do Imigrante Italiano. O qual eterniza os laços de fraternidade entre nosso país e o país da bota.

Entretanto, qual é o número de imigrantes italianos em cada estado e como foi a chegada dessas pessoas por aqui? Nesse sentido, esse será o tema abordado hoje.

Neste post você irá descobrir:

  • Qual a porcentagem de italianos no Brasil
  • Qual cidade do Brasil têm mais italianos
  • Em quais regiões do Brasil se concentram os imigrantes italianos
  • Colônias italianas no Brasil

Qual a porcentagem de italianos no Brasil

A vinda de italianos para o país, de 1870 aos anos 30, foi uma alternativa à mão de obra escrava que infelizmente era praticada no país, antes da abolição. Dessa forma, os imigrantes começaram a substituir a força de trabalho escravo pela livre. 

Além disso, a unificação da Itália também foi um grande impulsionador para o fenômeno, pois foi um marco de industrialização no território. O que acabou colocando à margem uma parte da população, como pequenos agricultores e consequentemente camponeses.

Em um primeiro momento, o Brasil foi o país a receber mais imigrantes, sobretudo da região de Vêneto, nordeste da Itália, que à época representava cerca de 30% dos emigrados. Nesse sentido, inclusive, vale ressaltar que a maioria deles vinham com famílias grandes, compostas por cerca de 12 a 15 pessoas

Cenário existente na chegada

Quando chegaram, existia um ambiente propício para se estabelecer. Sobretudo na região Sul do país. Isto é, por causa da baixa concentração de habitantes à época. Além da disponibilidade de terras para o cultivo. O que era muito conectado com o perfil dos imigrantes chegados aqui.

Assim, por lá o estado a recebê-los em maior número foi o Rio Grande do Sul, cerca de 43% no período de 1882 a 1914. Dessa forma, isso representava 66 mil dos 154 mil imigrantes que desembarcaram em território brasileiro. 

Vale destacar que, com o objetivo de manter suas tradições, os cidadãos italianos se organizaram em colônias, pois assim podiam manter os dialetos e a cultura para as próximas gerações. Dessa forma, nasceram as primeiras colônias, hoje conhecidas como as cidades de Garibaldi, Bento Gonçalves e Caxias do Sul, por exemplo. Além de muitas outras na região. 

Contudo, tratando-se ainda do Sul do país, no estado do Paraná é possível notar um processo migratório diferente do apresentado no Rio Grande do Sul. Já que, por lá pessoas descendentes de italianos estão em número significativamente reduzido.

Qual cidade do Brasil têm mais italianos

Tendo em vista a expansão cafeeira na região Sudeste do país, é natural que muitos tenham se instalado lá. Sobretudo, em São Paulo, onde a média de imigrantes à época foi em torno de 70%. Isto é, o que representava um total de 1,4 milhão de descendentes italianos.

Tal fato se deve a mesma causa que impulsionou o estabelecimento dessas pessoas na região sul do país, a ocupação delas. Já que, em maior parte eram pequenos proprietários e arrendatários também. No entanto, nesse caso a maior parte deles eram do norte e sul da Itália, não do nordeste.

Importante destacar ainda que, após o declínio da indústria cafeeira, houve uma forte transição do meio rural para o meio urbano. Assim, os imigrantes italianos passaram a protagonizar a crescente expansão da indústria paulista. 

Entenda a concentração de imigrantes italianos por estado

De acordo com dados do IBGE, período de 1991 e 2000, que considera as pessoas que residiam em outro país 5 anos antes e fixaram residência em território brasileiro, a distribuição se deu da seguinte forma em ordem decrescente:

  • São Paulo
  • Estados da região Sul
  • Minas Gerais 

Vale destacar que, em Minas Gerais, eram atraídos para os arredores da capital do estado principalmente colonos agricultores. Além deles, tiveram imigrantes atraídos também para o sul do estado, ainda à época das lavouras de café. 

No restante do país, caso da região Centro-Oeste, Nordeste e Norte, a imigração se deu de forma muito particular. Começando pela região Centro-Oeste, a maioria das pessoas que se estabeleceram por lá vinham do Sul do país. Principalmente do interior, devido às baixas oportunidades econômicas. Porém isso se deu já por volta da década de 70.

no Nordeste, a imigração italiana se deu de forma mínima, quando comparada às regiões Sudeste e Sul. Entretanto, o local em que eles se concentraram foi a Bahia, especialmente na região sul do estado. No caso da região Norte, a situação se assemelha e, os poucos residentes se concentraram basicamente no Pará. 

Concentração de descendentes por estado atualmente

Atualmente, o cenário que abordamos acima influencia diretamente o número de pedidos de reconhecimento da cidadania italiana, levando em consideração o número de descendentes por estado. 

Sendo assim, no estado de São Paulo, são cerca de 13 milhões de descendentes. Já no Rio Grande do Sul, são cerca de 3 milhões, enquanto no Paraná o número chega a 3,7 milhões. Nos demais estados, como por exemplo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo somam juntos 4 milhões de descendentes. 

Além desses, considerando as demais regiões do país, o número não ultrapassa 2 milhões de descendentes fora das regiões Sul e Sudeste.

Colônias italianas no Brasil

  • Quarta Colônia Italiana (RS)

Localizada na região central do estado do Rio Grande do Sul, próxima à cidade de Santa Maria, fica esse polo italiano composto por vinícolas e alguns municípios. Uma curiosidade sobre a cidade é que ela possui um distrito chamado “Vale Vêneto”. 

O que faz referência à região ao norte da Itália. Região de onde vieram muitos dos primeiros italianos chegados ao país. Assim, é comum ouvir por lá os dialetos italianos, além de encontrar vários pratos da gastronomia do país da bota, assim como os conhecidos cafés coloniais.

  • Nova Veneza (SC)

A cidade de Nova Veneza, próxima à Florianópolis, recebeu esse nome como uma homenagem aos imigrantes vindos de Vêneto ainda no início da grande imigração.

Lá é possível encontrar desde os casarões tombados como patrimônio histórico compostos por decorações que lembram a cultura que caracteriza a Itália, máscaras venezianas, além de ruas ladrilhadas. 

Além disso, um dos maiores atrativos da cidade é a gôndola Lucille — embarcação legítima que percorreu os canais venezianos no passado.

  • Nova Trento (RS)

Outra cidade no estado do Rio Grande do Sul, onde é possível encontrar vinícolas artesanais, além do conhecido Museu do Imigrante. Entretanto, diferente das outras cidades citadas acima, esta foi, na verdade, colonizada por imigrantes vindos do Trentino-Alto Ádige, norte da Itália.

Além disso, a cidade é famosa por abrigar o santuário de Madre Paulina, a primeira santa brasileira canonizada. 

  • Nova Pádua (RS)

Por último, podemos citar ainda Nova Pádua. Situada na Serra Gaúcha, abriga uma famosa feira de produtos coloniais, além de possuir diversas cantinas espalhadas pela cidade. Além disso, a cidade também possui influência da imigração da primeira leva de italianos que desembarcaram em solo brasileiro. 

Esse é um panorama geral da distribuição dos imigrantes italianos pelas regiões brasileiras que foi estabelecida. Dessa forma, é notável como a presença dos oriundi no país ao longo do tempo se solidificou e estreitou laços. 

Dessa maneira, se assim como esses milhões de descendentes você tem interesse de conhecer mais sobre a sua história ou entender melhor o seu caso, entre em contato conosco. Clique abaixo:

imigrantes italianos por estado