Você já deve ter entrado no site da TripAdvisor, não? Sendo uma das plataformas de maior renome quando o assunto são viagens, a TripAdvisor anualmente ranqueia as atrações enquanto popularidade, e o vitorioso do ano foi o Coliseu de Roma!

Um dos pontos turísticos mais conhecidos da Itália é o Coliseu, seguido pela Torre de Pisa, e outros pontos icônicos do país. Considerada a atração mais popular do mundo pelo segundo ano consecutivo, o Coliseu tem realmente muito a oferecer para os que passam por aqui.

Existe muita história emanando por cada parte da construção. O Museu do Louvre veio logo depois do Coliseu, e em terceiro lugar – o Vaticano. Na lista, também existem outros pontos turísticos italianos, como a Praça São Marcos, de Veneza, que fica na décima colocação.

POR QUE O COLISEU CHAMA TANTA ATENÇÃO?

Esta antiga arena de gladiadores foi construída com o objetivo de receber mais de 50 mil espectadores. Hoje em dia, continua recebendo milhares de visitantes. Mais especificamente, quase 8 milhões todos os anos. Uma média de 21 mil pessoas por dia.

O Coliseu é o mais famoso símbolo, não somente da Itália, como também do Império Romano como um todo. Reservado para combate entre gladiadores e guerreiros contra animais violentos, este anfiteatro teve sua construção iniciada em 72 d.C., por ordem de Flávio Vespasiano, imperador da época.

As obras levaram 8 anos para serem concluídas, e foi no império de Tito Vespasiano, filho de Flaviano, que o Coliseu foi inaugurado. Tito nomeou a construção de “Anfiteatro Flaviano”, a fim de homenagear seu pai.

E QUANDO O COLISEU VIROU O COLISEU?

Foi somente no século 11, quando o Colosso de Nero (uma estátua de bronze com 35 metros de altura) foi construído ao lado do anfiteatro, que o Coliseu começou a ser chamado assim.

À época, existiam combates no Coliseu que duravam cerca de 100 dias. Centenas de gladiadores lutavam com milhares de animais ferozes. Os jogos violentos eram a diversão do público que frequentava o Anfiteatro.

Apesar de estar aparentemente em ruínas, inclusive ameaçando desabamento em algumas partes, o Coliseu guarda em si uma grande energia de poder, majestade e elegância. Rodeado por avenidas, os milhões de visitantes vêm para entender como essa construção conseguiu sobreviver ao tempo, aos saques e ainda terremotos.

O ícone italiano continua de pé principalmente por conta de:

  1. REFORMAS CONSTANTES:

Desde o século 18, nas escavações arqueológicas do Coliseu, diversas restruturações foram feitas. A mais recente delas aconteceu no ano 2000, e recuperou a face externa, reformando os arcos de mármore imponentes e que são marca registrada do anfiteatro;

  1. ARENA IMENSA:

Com uma forma elíptica, o Coliseu mede 189 metros no seu maior eixo, e 156 no menor. Não sabemos necessariamente quem foi o arquiteto responsável, já que os dados históricos da época são inconclusivos. Mas, sabemos que para a época, esse foi um projeto imenso. Os 48,5 metros de altura equivalem a um prédio de 15 metros de altura hoje;

  1. MATERIAIS DE PRIMEIRA:

Os materiais usados no Coliseu não são de baixa qualidade – longe disso. Foram 100 mil metros cúbicos de mármore travertino. Pilhado ao longo de séculos, hoje não existem tantos pedaços desse mármore, mas ainda existem blocos de tufa no interior (esses blocos em sendo feitos de uma pedra vulcânica bem resistente);

  1. CORREDORES PRESERVADOS:

Os corredores do Coliseu são bem preservados até hoje. No passado, eles eram uma forma bem eficiente de escoar a população do anfiteatro. Foram projetados, inclusive, para dar acessos exclusivos para as diferentes classes sociais da época.

Hoje, ainda se descobrem novas áreas do Coliseu, e outros detalhes da construção. Abaixo do anfiteatro, existe um verdadeiro labirinto de ruínas. Nessa trama de corredores, salas e elevadores, ficavam os gladiadores e as feras antes de entrarem em cena.

Além disso, descobriu-se que o Coliseu possuía até mesmo toldos que cobriam as zonas exclusivas e os camarotes destinados ao imperador e seus convidados.

UM MONUMENTO ÚNICO E PRESERVADO ATÉ HOJE

A fachada do anfiteatro impressiona até hoje com sua riqueza de acabamento. Os estilos de colunas ornam os vários níveis do piso. Hoje, mesmo com o desgaste do tempo, podemos perceber esses detalhes. Imaginemos como era no passado, quando esses pisos podiam ter até 80 arcos, cada um com 7 metros de altura.

Isso, sem falar nas centenas estátuas de bronze que se distribuíam pela construção.

Além da estrutura ter ido mudando com o tempo, o próprio objetivo de existência foi se modificando à época que ainda estava ativo. Sabemos que no passado eram os gladiadores que lutavam, mas com o tempo, prisioneiros de guerra, criminosos e até mesmo escravos começaram a ser enviados para o Coliseu para batalhar.

 A HISTÓRIA QUE SE ERGUE

Não é à toa que o Coliseu é tão visitado – percorrer os corredores dessa imensa e imponente construção é algo inegavelmente incrível. Respirar, conhecer, tocar a construção é entrar em contato com uma energia única, e nós aqui da Cidadania4u de certo recomendamos!

Se você for à Roma, não deixe de visitar o Coliseu. Entre em contato com esse marco da história da Itália. Afinal de contas, não é essa a nossa função enquanto cidadãos italianos? Redescobrir e reencontrar a história de nossos ancestrais?

Outra forma de fazer isso, como sempre dizemos, é através do reconhecimento da cidadania italiana. Especialistas nesse assunto, nós aqui da Cidadania4u, podemos te ajudar nisso!

Fale com os nossos profissionais através do contato@cidadania4u.com.br e entenda melhor como podemos te ajudar 😀

Um grande abraço e até mais!